Noticias

África e Drones como o futuro da produção de alimentos

África e Drones como o futuro da produção de alimentos

“Podemos usar um drone para voar pela plantação escaneando o terreno para entendermos a diferença no solo e otimizando a aplicação de fertilizantes. Todas as outras indústrias estão se modernizando, tornando-se mais tecnológicas. A agricultura necessita de automatização dos processos. Mas isso não significa o fim do fazendeiro, apenas um novo tipo de fazendeiro”, explicou Hunt.

Drones transformam a paisagem no campo

Drones transformam a paisagem no campo

Amplamente explorados em países como Estados Unidos, Espanha e Chile, os drones, ou veículos aéreos não tripulados (Vants), vêm despertando cada vez mais a atenção dos agricultores brasileiros. Munidos de câmeras potentes, eles usam técnicas de geoprocessamento para identificar, com mais precisão, problemas que possam causar prejuízos às propriedades, como pragas e falhas de plantio.

Agricultores usam drones para monitorar plantações

Agricultores usam drones para monitorar plantações

“Hoje em dia tudo é feito a pé no meio da plantação. Se a gente pegar uma pessoa muito experiente para fazer uma busca em áreas infectadas, em 20 minutos, eles conseguem averiguar 500 árvores por amostragem. Em 20 minutos com o vant, a gente é capaz de margear 56 hectares”, explica Kalinka Branco. “E a precisão é enorme, porque em 15 minutos você sabe pelo aplicativo o total de plantas sadias e não sadias em uma área”.

Novo salto de qualidade na agricultura brasileira

Novo salto de qualidade na agricultura brasileira

Junto ao desenvolvimento de novos cultivares, esse processo terá como aliado fundamental o mapeamento das áreas. O uso de análises de ressonância magnética combinado com o mapeamento por drones ou por satélite auxiliará na definição das espécies ou cultivares mais adequados para cada local, o que também ajudará a reduzir o acréscimo de substâncias à lavoura – em prol da economia de insumos, inclusive de água.