Brumadinho: Como os drones podem evitar novos casos como esse

Tempo de leitura: 3 minutos

Nos últimos dias nós brasileiros fomos impactados por mais um crime ambiental cometido pela empresa VALE que chocou todo o país. O ocorrido é recente e está sendo investigado, não cabe a nós fazermos acusações, porém, toda operação que expõe o risco de morte aos colaboradores da empresa ou à sociedade e o meio ambiente como um todo deve fazer um plano de gestão de risco: nesse ponto os drones podem auxiliar.

Um vídeo no Youtube do usuário Fernando Bonato mostra uma simulação numérica do rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão localizada na cidade de Brumadinho – MG. O vídeo é muito interessante pois mostra além do percurso da lama, o tempo que ela chega em cada ponto e a profundidade da inundação nestes pontos. Segundo comentários do vídeo, essa barragem está próxima, mas não é exatamente a que se rompeu, porém, o nosso objetivo é analisar como a tecnologia pode ser utilizada para evitar novos casos como esse.

De posse dessa simulação a empresa poderia ter criado um plano de emergência robusto e com rotas de fuga com o objetivo de diminuir ou até mesmo evitar a morte de pessoas na área. Além disso, a empresa poderia ter avaliado a possibilidade de construir o refeitório em outra localidade da área onde o risco aos seus colaboradores seria menor.

Mas onde os drones entram nessa história? Para executar essa simulação o Fernando Bonato utilizou de alguns produtos cartográficos disponíveis gratuitamente na internet, sendo eles o Modelo Digital do Terreno (MDT) fornecido pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) 2011 e Ortofoto fornecida por Pléiades Copyright CNES 2019, Distribuído por Airbus DS.

O Fernando Bonato cita que mesmo com poucos detalhes (devido aos produtos cartográficos gratuitos utilizados) ele conseguiu resultados satisfatório na simulação da inundação. Como forma de melhorar esses resultados. um drone pode ser usado para realizar o mapeamento aéreo da região, gerando então um MDT e um Mosaico de ortofoto mais detalhado.

O MDT é um modelo tridimensional do terreno. De maneira simples, este produto cartográfico é uma representação numérica do terreno. De posse desse produto é possível simular diversas situações de risco entre elas o rompimento da barragem. Veja a simulação de rompimento feito pelo Fernando:

Já o Mosaico de ortofoto é o principal produto gerado através do mapeamento aéreo com drones. O diferencial dos drones é que ele sobrevoa mais próximo do terreno proporcionando um nível de detalhamento maior que os outros métodos, como o avião e imagens de satélite. Além disso, com o drone é possível sobrevoar abaixo das nuvens em regiões úmidas, já com as outras tecnologias isso não é possível.

Aqui no Blog nós já escrevemos algumas matérias sobre a geração do MDT e Mosaico de ortofoto através do mapeamento aéreo com drones, seguem os links:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *