Entenda o Processamento de Imagens em aéreas urbanas

Tempo de leitura: 2 minutos

Um dos principais clientes do mapeamento aéreo tripulado são as grandes cidades que utilizam a fotogrametria para realizar o levantamento cadastral em seu município, a fim de verificar construções ou obras que não foram declaradas, é uma maneira muito eficiente de aumentar a receita do município sem a necessidade de aumentar a alíquota e convenhamos que também seja uma forma mais justa, afinal deve-se cobrar de quem realizou tais benfeitorias.

Portanto, o processamento de imagens aéreas de áreas urbanas já é uma realidade há tempos na fotogrametria tripulada, porém, no mapeamento aéreo com drones encontram-se muitas dificuldades neste tipo de processamento, o problema principal são as grandes distorções apresentadas no mosaico de ortofoto como na imagem abaixo:

Figura 1: Mosaico de ortofotos gerado através do MDS
Figura 1: Mosaico de ortofotos gerado através do MDS

 

O principal motivo por estas deformações é porque a maioria dos softwares de processamento de imagens aéreas de drones são focados na automatização do processo, para isto, oferecem um workflow automático onde basta alguns cliques para gerar um mosaico de ortofoto, devido a este fato, estes softwares utilizam o MDS (Modelo Digital de Superfície) para gerar o mosaico de ortofoto.

É necessário utilizar algum MDE (Modelo Digital de Elevação) para corrigir a variação do relevo no processo de ortorretificação das imagens, os softwares de processamento de imagens aéreas de drones utilizam o MDS, pois este, é um produto automático gerado no processo, porém, o correto neste caso é a utilização do MDT (Modelo Digital do Terreno).

Para gerar o MDT é necessário realizar uma filtragem no MDS, por mais que utilize um algoritmo de filtragem é necessário algumas intervenções do operador no processo, se você deseja conhecer a diferença entre MDS e MDT e o processo de filtragem acesse este post: Como gerar MDT com Drones?

MDS
Figura 2: Modelo Digital da Superfície (MDS)
mdt
Figura 3: Modelo Digital do Terreno (MDT) realizado através da filtragem do MDS.

O Agisoft PhotoScan Professional é o software de processamento de imagens aéreas de drones com a melhor relação custo x benefício do mercado e consequentemente o mais popular, neste software é possível realizar a filtragem dos objetos acima do solo de forma automática ou manual, confira algumas imagens do processo realizado automaticamente:

 

Figura 4: Nuvem de pontos

 

Figura 5: Classificação automática – Geração da classe terreno

 

Figura 6: Mosaico de ortofotos gerado através do MDT

Se você ficou interessado em apreender detalhadamente este procedimento, conheça o nosso Curso Online de Processamento de imagens aéreas de drones com o software Agisoft PhotoScan, o curso é realizado através de uma plataforma online com fórum integrado, respostas para as suas dúvidas pontuais, certificado automático e mais de 400 alunos matriculados para você fazer networking.

 

Conheça nosso curso:

processamento de áreas urbanas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *