Tipos de câmeras para drones e as imagens geradas

Tempo de leitura: 3 minutos

São vários os sensores que podem ser utilizados no mercado de Mapeamento Aéreo com Drones, os principais tipos de câmeras para drones são: RGB, Multiespectral e o RGB modificado onde uma das bandas é substituída pela banda NIR por exemplo.

O uso de cada um vai depender do objetivo e dos recursos disponíveis para a realização do seu projeto, por isso não podemos falar que um tipo de câmera é melhor que a outra. É preciso entender quais as informações que serão necessárias capturar para atingir as exigências que o cliente explanou no momento da contratação do serviço.

Aqui vamos falar dos 3 sensores comentados no início e alguns dos resultados que podemos obter com cada um deles.

1. RGB

Primeiro, vamos começar pelas câmeras do espectro visível, que são as que conseguimos enxergar a olho nu. A câmera visível é a câmera RGB (Red, Green, Blue) colorida, uma câmera convencional, que nós temos no nosso celular, por exemplo.

Com esse tipo de câmera, você consegue dados quantitativos do terreno, ou seja, é através dessas câmeras que conseguimos gerar a topografia da área, ou análises do tipo: coordenadas, distâncias, áreas, perímetros e outras.

A câmera RGB é muito utilizada na área de topografia, que exerce função em diversos nichos da engenharia, como a construção civil, mineração, agricultura, etc. Além disso, essa é a câmera mais vendida do mercado.

Exemplo de uma imagem da câmera RGB:

– É possível aplicar índices de vegetação com a câmera RGB?

Sim. Os índices de vegetação gerados a partir do sensor RGB nos oferece informações referentes à variabilidade do campo, identificação de falhas e contagem de plantas com o objetivo de captar a banda espectral NIR (Near Infrared), invisível à olho nu, sendo essa, a única diferença para a câmera convencional. Essa substituição pode ocorrer em qualquer banda espectral da câmera convencional (verde, azul ou vermelho). A Mapir é o exemplo  mais conhecido desse tipo de equipamento.

A banda do NIR permite a aplicação mais direta da grande parte dos índices de vegetação, como o NDVI (Índice de Vegetação por Diferença Normalizada), que é o índice mais conhecido e utilizado para analisar taxas de fotossíntese das plantas, além de proporcionar a verificação da saúde e desenvolvimento da cultura.

2. Multiespectral

São compostas por múltiplos sensores, cada um com um filtro de alta qualidade específico para a captação de diferentes bandas. Captura todas as bandas do visível mais o infravermelho próximo (NIR) e tem a possibilidade de capturar o RedEdge.

Diferentemente das câmeras modificadas, que possuem um único obturador e por isso apresentam uma “contaminação” entre as bandas que chamamos de ruído, esse modelo possui um obturador único para cada banda espectral, o que resulta em 5 imagens distintas para cada disparo do equipamento.

Por capturar uma banda a mais (RedEdge), ela consegue obter mais informações precisas, como a evolução sintomática da plantação, por exemplo. Um modelo bastante conhecido desse tipo de câmera, é a RedEdge MicaSense.

Exemplo de imagens resultantes de um único disparo da câmera:

E aí, conseguimos clarear um pouco sobre as principais diferenças nos tipos de câmeras para drones? 

Lembrando que essa etapa de escolha do sensor cabe exclusivamente ao profissional capacitado que aceitou o projeto. Uma decisão não muito bem pensada e estudada pode acarretar em prejuízos financeiros bastante elevados.

Não existe um modelo certo ou errado, é necessário analisar o custo-benefício do produto, levando em conta sua maior demanda de projetos.

Que tal continuar estudando, agora com um e-book aqui da Droneng?

Clique na imagem abaixo e baixe agora mesmo o conteúdo sobre a diferença entre Fotogramentria x Topografia. É gratuito, aproveite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *