DJI Phantom 4 RTK: primeiro modelo da fabricante desenhado para mapeamento aéreo

Tempo de leitura: 2 minutos

Em outubro de 2018 foi lançado o DJI Phantom 4 RTK e desde então esse modelo tem chamado a atenção dos usuários, isso porque esse é o primeiro da fabricante realmente criado para o mapeamento aéreo.

Essa linha de drones, de equipamentos da líder mundial, sempre foi pensada para as filmagens, porém com essa nova linha não só é possível realizar o mapeamento, mas também gerar produtos de alta qualidade.

Nossa equipe da DronEng teve acesso ao DJI Phantom 4 RTK, o testou e vai trazer respostas para as dúvidas de vocês quanto à esse drone em um webinar. Continue lendo para saber mais informações, mas antes acompanhe o vídeo abaixo e veja o design desse modelo.

SOBRE O DJI PHANTOM 4 RTK

A DJI repensou sua tecnologia de drone a partir do zero, revolucionando os seus sistemas para alcançar um novo padrão de precisão do drone. O Phantom 4 RTK é capaz de otimizar a segurança do voo, garantindo que dados mais precisos sejam capturados para fluxos complexos da topografia, inspeção e mapeamento.

Com ele é possível capturar as imagens com um sensor CMOS de 1 polegada e 20 megapixels. O seu obturador mecânico realiza missões de mapeamento ou captura regular de dados sem costuras, desse jeito, o Phantom 4 RTK pode se mover ao capturar imagens sem o risco de borrar as imagens.

Por conta da sua alta resolução, o DJI Phantom 4 RTK pode alcançar um GSD em solo de 2,74 cm a 100 metros de altitude de voo.

Esse novo modelo ainda possui uma aplicativo próprio de planejamento de voo. Esse novo aplicativo GS RTK permite que os pilotos controlem o seu Phantom 4 RTK possuindo dois modos de planejamento: Fotogrametria e Voo por waypoint, além do modo de voo tradicional.

Sua transmissão de imagem e vídeo em HD é estável e confiável a distâncias de até 7 km, ideal para mapear áreas maiores.

WEBINAR

Como já dito, após testarmos o funcionamento do DJI Phantom 4 RTK, nós da Droneng preparamos um webinar  e um case para vocês sobre esse modelo.

A principal dúvida que tiramos com os nossos testes é a seguinte: “É possível eliminar a necessidade do uso de pontos de apoio no terreno?”.

A resposta para essa pergunta é o desejo de grande parte das pessoas pelo fato da coleta de pontos de apoio ser realizada em solo e muitas vezes demandar um tempo maior na execução do projeto, aumentando os custos operacionais.

Você também quer tirar essa dúvida e ficar por dentro de muitas outras informações sobre o uso desse modelo da DJI?

Então esse é o momento e lugar certo para você, anote aí: nosso webinar será realizado no dia 05 de junho, uma quarta-feira, às 19 horas e será apresentado pelo Manoel Silva Neto, fundador Droneng.

Não deixe para depois e faça já sua inscrição. Clique na imagem abaixo e garanta sua participação no nosso webinar!


2 Comentários


  1. Olá Manoel.
    Trabalho na empresa STE Serviços Técnicos de Engenharia de Canoas/RS, região metropolitana de Porto Alegre, onde trabalharmos com projetos rodoviários, ferroviários, saneamento dentre outros segmentos de infraestrutura e começamos a utilizar drones a bem pouco tempo.
    Recentemente assisti o webinar sobre o case do phantom 4 RTK e fiquei com uma dúvida. Perguntei se o aplicativo utilizado no drone, após a troca da bateria, possibilita a continuidade da missão planejada do mesmo ponto onde parou. Você disse que ele permite isso. Compramos esse drone e não conseguimos configurar essa opção de continuar a missão após a troca de bateria. Poderia nos auxiliar?

    Responder

    1. Olá Luis, tudo bem?
      Você está usando o aplicativo DJI GS RTK para o planejamento de voo? Nele, a continuação da missão após a troca da bateria vem configurada como padrão.

      Abraços!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *