É possível realizar Fotogrametria com Phantom?

Tempo de leitura: 8 minutos

É possível realizar Fotogrametria com Phantom? Essa é uma questão que recebemos de forma recorrente! Saiba mais:

Post atualizado: 01/02/2017

A primeira versão desta matéria foi lançada em maio de 2015. Na época a DJI utilizava as câmeras GoPro em seus modelos e estava migrando para suas câmeras próprias, de lá pra cá muita coisa mudou, os modelos “Phantom” melhoram exponencialmente em cada lançamento o que nos levou a atualizar este post. Confira abaixo:

Primeiramente vamos entender o que é um Drone!

Drone em inglês significa zangão. Este nome foi atribuído aos multirotores devido à semelhança do barulho dos seus motores ligados com o barulho do bater das asas de um zangão. Para ficar mais claro considere “Drone” como um apelido do VANT, e o que seria VANT?

VANT é um acrônimo de Veículo Aéreo Não Tripulado. Nada mais é que aeronaves que operam sem a presença de um piloto a bordo. De uma maneira futurística seriam “robôs voadores”, já que drone é um apelido, considere o VANT como o nome científico.

Acredito que o termo drone soa mais familiar pra você, não é mesmo?

Isto ocorre porque a mídia convencionou este nome, ou seja, os veículos de comunicação aderiram a esta palavra e convenhamos que ela realmente possui um apelo maior, soa mais tecnológica não acha? Talvez possa ser por vermos com mais frequência e acabamos achando estranho o termo VANT que é menos popular.

Porém, vale ressaltar que o termo correto é o VANT, pois existem diversos mercados que fazem o uso desta tecnologia para suas finalidades. Você já notou o tanto de aplicações que surgiram na mídia com a utilização desta nova tecnologia?

O que é Fotogrametria?

Um dos mercados que ficou popular com o surgimento dos VANTs foi a Fotogrametria, ciência que mapeia grandes áreas através de câmeras embarcadas em aeronaves, esta ciência surgiu em 1849 na França e já passou por diversas transformações até a chegada dos drones, pode ser encontrada na grade de alguns cursos de engenharia, a Engenharia Cartográfica, por exemplo, tem 3 anos de Fotogrametria em sua grade curricular.

No início eram utilizadas câmeras acopladas em pombos, depois em pipas, a primeira grande transformação foi com o surgimento do avião, depois a evolução tecnológica teve destaque nas transformações futuras como a câmera digital, computadores e mais recentemente os Drones.

O que antes era feito com aviões comuns comandados por pilotos, hoje é realizado por um robô voador teleguiado remotamente do chão. A tecnologia é incrível não é mesmo?

Se você deseja se aprofundar neste tema, acesse esta matéria, onde nós fizemos uma comparação entre a topografia e a fotogrametria abordando aspectos técnicos, características, diferenciais e aplicações.

A parte boa desta popularização é que uma ciência cara como a Fotogrametria, barateou o seus custos e produtos que antes eram restritos aos órgãos públicos e grandes empresas de engenharia, hoje está acessível às pequenas e médias empresas.

A parte ruim é que toda popularização gera banalização, com isso vemos diversos projetos realizados sem as mínimas exigências técnicas, vale ressaltar que o mapeamento aéreo pertence a uma ciência, e como tal existem experimentos, avaliações estatísticas, etc. Além disso, o seu produto é utilizado por diversas vertentes da engenharia que exige alta qualidade.

Esse é um processo que todo avanço tecnológico passa. Por ser um mercado novo, os drones ainda precisam passar por um processo de maturidade, à começar pela legislação para o uso comercial, que mesmo sem ser publicada, não está impedindo que o mercado cresça exponencialmente, principalmente pelo trabalho de empresas sérias que estão realizando um ótimo trabalho e fomentando o mercado em todo o país.

Para que o mercado cresça de maneira responsável é necessário que as empresas tenha um corpo técnico capacitado com engenheiros com formação ou experiência em fotogrametria, por mais que o avanço tecnológico está deixando os processos mais simples e automatizados, por ser uma ciência a fotogrametria também é uma arte, e a experiência e o conhecimento técnico de um engenheiro garante um trabalho de qualidade, além disso, também é capaz de avaliar o trabalho contratado.

Este é ponto, as empresas contratantes não estão sabendo avaliar a qualidade dos produtos entregues, que só são descobertos na execução do projeto ou quando é realizado um segundo mapeamento aéreo na mesma área por uma empresa com know-how, portanto, é muito importante que o mercado se profissionalize.

É possível realizar fotogrametria com Phantom?

A resposta é Sim! Na época em que escrevi essa matéria pela primeira vez (05/2015), a DJI era uma promessa no mercado dos drones e comercializava o seu segundo modelo o Phantom Vision II, de lá pra cá muita coisa aconteceu no mercado, a DJI recebeu diversos aportes milionários e tornou-se a maior empresa do mercado mundial, até a 3DR outra grande empresa informou que não fabricaria mais o seu modelo 3DR Solo pois não dava para competir com os drones da DJI.

Falar sobre tecnologia é realmente um risco, pois em alguns meses o que você criticou foi corrigido por uma nova versão do equipamento e foi assim que aconteceu com a linha Phantom da DJI. A DJI tem uma parceria comercial com a Apple, o que deve ter inspirado a empresa em seu modelo de negócio, a DJI segue a linha da apple de reinventar cada novo modelo lançado com grandes mudanças e na sequência para de fabricar seus produtos antecessores.

Na época fiz diversas críticas ao sensor embarcado, no caso uma GoPro ou até mesmo a câmera do Phantom Vision II, isto porque estas câmeras possuía muitas distorções por conta do efeito “olho de peixe” (aspecto arredondado nas imagens) que deformam os objetos presentes na imagem influenciando nas medidas realizadas no mosaico de ortofoto gerado.

A qualidade geométrica das imagens é um dos principais requisitos de qualidade para a fotogrametria.

A cada lançamento a DJI deu uma atenção especial no desenvolvimento do sensor, que vem melhorando a cada versão, foi eliminado o efeito olho de peixe e diversas melhorias foram aplicadas na qualidade da câmera, o modelo Phantom 4 que testamos, já oferece uma boa qualidade de imagem, nas últimas versões lançadas, o Phantom 4 pro e 4 pro plus a câmera mais uma vez foi a protagonista e desta vez recebeu diversas melhorias.

Um dos principais diferencias do Phantom 4 é a sua estabilização, no mercado de mídia a estabilização das imagens é um item crucial para um trabalho profissional, por ser direcionado a este mercado, o Phantom 4 apresenta uma ótima estabilização o que ajuda na captura de imagens para o mapeamento aéreo, mas ao contrário do mercado de mídia não é necessário tanta estabilização.

Para realizar a fotogrametria com qualidade é necessária uma boa plataforma estabilizada e que possa ser programada para voos autônomos, além de, um ótimo sensor, pois este, que é o responsável pela coleta dos dados. Que a DJI fabricava ótimas plataformas isso não há dúvidas, agora tem se empenhado em melhorar os seus sensores.

A última versão lançada o Phantom 4 Pro, a câmera de bordo foi redesenhada para usar 20 megapixels do sensor CMOS. Uma lente projetada para oito elementos, organizada em sete grupos. Essa é primeira câmera DJI a usar uma abertura mecânica que elimina a distorção do obturador, que ocorre quando tiramos fotos de objetos em movimento rápido ou quando estamos voando em alta velocidade com foco mecânico.

Além da evolução tecnológica dos lançamentos da DJI, vale ressaltar aqui as atualizações dos softwares de processamento de imagens, como o Phantom é o drone mais vendido do mundo, as empresas de softwares otimizaram seus softwares para processarem as imagens dele, o que possibilitou um avanço muito grande na qualidade dos dados gerados.

Nós realizamos alguns testes com o Phantom 4 que iremos divulgar em uma próxima matéria, nós atingimos bons resultados em nossos testes, porém, vale ressaltar que independente do equipamento que você utilize, o importante é ter conhecimento sólido de todo o processo e conhecimento técnico para controlar a qualidade em todas as etapas do projeto de mapeamento aéreo.

29 Comentários


      1. Bom dia, mesmo o phantom 3 profissional tem essa restrições à câmera dele não abre como a go pro e a resolução é ótima… tenho um phantom 3 profissional por isso a pergunta, pretendo trabalhar com isso daí precisava de informações e de saber qual software posso usar…

        Responder

  1. Olá Manoel,
    Pelo que entendi então é preciso fazer a calibração das cameras que serão utilizadas para fotogrametria, mesmo se for uma camera DSLR??
    O Phantom 3, parece ser um Drone bem completo e bons recursos, vendo que ele consegue realizar o geolocalização precisa das fotos, capaz de realizar waypoints e camera não possui distorção, você acha que esse novo modelo é um bom Drone para realização de fotogrametria?
    Muito Obrigado.

    Responder

    1. Olá Jonas,

      A calibração é apenas uma parte do processo que deve ser realizada em toda câmera para calibrá-la, a matéria não aborda modelos de Phantom específico e sim a categoria que este drone se encontra, como citado na matéria você irá conseguir gerar os produtos finais, porém, realizar a Fotogrametria é muito mais que apenas gerar mosaicos georreferenciados, você tem que garantir precisão aos seus produtos, ou seja, uma qualidade aceitável para projetos de engenharia onde esta técnica é recomendada.

      Obrigado pelo contato,

      Forte abraço!

      Responder

  2. Manoel, é possível registrar waypoints ou trajetos para medição de área com o phanton?

    Responder

    1. Fala Humberto, tudo bem?

      É possível sim, porém, você precisa um software da DJI chamado Ground Station, pesquisa mais sobre ele na internet,

      Obrigado pelo contato,

      Forte abraço!

      Responder

  3. Bom dia manoel, gostaria de me aprofundar mais nesse estudo, qual sua suagestao?

    Responder

  4. Ola Manoel,
    Estou pesquisando a compra de um phanton 2 para gerar mosaicos de festas e eventos.
    Consegues me indicar um software que gere estes mosaicos? ou o software do equipamento consegue gerar estes mosaicos?

    Grato pela atenção

    Responder

    1. Fala Marcelo, tudo bem?

      Da uma pesquisa no software Agisoft PhotoScan,

      Este mês iremos lançar um curso de processamento com este software,

      Obrigado pelo contato,

      Forte abraço!

      Responder

  5. Boa tarde Manoel! Parabéns pelo post.

    Sou analista de sistema e trabalho com GIS há alguns anos.

    Comecei a pilotar drones há pouco tempo como hobby e acabei gostando muito da brincadeira.

    Atualmente estou pensando em iniciar na fotogrametria com drones/vants e gostaria de saber, na sua opinião, qual seria hoje o equipamento mais em conta(drone/vant e camera) para realizar fotogrametria.

    Obrigado.

    Responder

  6. Show de bola a matéria. A profundidade com a qual o assunto foi abordado acredito que tenha sanado todas as dúvidas técnicas que muitas pessoas, inclusive eu, tinham sobre o uso de multirotores com câmeras de lente do tipo “olho-de-peixe”. Grande abraço, Manoel!

    Responder

  7. Muito boa a matéria, em relação ao conhecido Drone, segue uma explicação um pouco mais atualizada, acredito eu.

    “No Brasil, as Aeronaves Remotamente Pilotadas são conhecidas como VANTs sigla
    para Veículos
    Aéreos Não Tripulados e
    Drones do
    inglês “zangão”. Porém, de acordo com o DECEA, é necessário
    uma mudança de nomenclatura desses termos, visto serem termos obsoletos e em desuso pela
    comunidade aeronáutica internacional. Nesse sentido, depois de uma ampla discussão ao longo de
    alguns anos, fica definido, de acordo com a Convenção sobre Aviação Civil Internacional, que o termo
    correto a se referir a esse tipo de aparelho é Aeronave Remotamente Pilotada.”

    Responder

  8. Olá Manoel, estou chegando á sua matéria mais de 1 ano depois da publicação, ainda assim é bastante informativa e esclarecedora, parabéns!
    Acabamos de adquirir o Phantom 4 e gostaria de saber o que está sendo feito com esse equipamento para uso na agricultura, de forma não profissional, mas para coleta informações internas. Quais softwares podem ser utilizados?

    Responder

    1. Olá Daniel,

      A DJI fez diversas atualizações no Phantom 4 é praticamente um novo drone, nós fizemos um case com ele e tivemos resultados interessantes, em breve vou atualizar este post,

      Para captura de imagens você pode usar o Pix4 Capture, Drone Deploy, Map Made Easy, para processamento o Agisoft e Pix4d

      Obrigado pelo contato,

      Forte abraço!

      Responder

  9. Excelente artigo! Texto didático, esclarecedor, interessante. Muito bem escrito!

    Responder

  10. Muito legal a matéria. Uma pergunta. No Phanton 4 Pró, um vôo com um pixel de 10 cm consegue levantar um a área de 1000 x 1000 metros?

    Responder

  11. Muito boa matéria. Parabéns. Só fica uma dúvida. É possível realizar geoprocesaamento e fotogrametria com o Fanton 4 Pro com tela embutida no controle? Ele aceitas os softwares?

    Responder

  12. Cabe resaltar que el DJI phantom 4 es un dron bastante completo y con buenas caracteristicas mas sin embargo hay quienes dicen que es el dron que cualquiera podria volar y que nadie podria estrellar, pero es importante destacar que esto no es asi, al contrario no es facil de volar por lo tanto seria facil de estrellar, mas sin embargo una de las ventajas que este equipo tiene es que es extremadamente rapido, y logra esquivar cualquier tipo de obstaculos por si solo durante su vuelo.

    Responder

  13. Ola, posso usar outro Drone para realizar a fotogrametria, como por exemplo o “Drone DJI Mavic Pro”

    Responder

    1. Bom dia Flávio,

      Ainda não testamos com o Mavic Pro, o mavic é uma aeronave excelente para filmagens, para fotogrametria é mais viável a linha Phantom, para saber se é possível você tem que analisar a compatibilidade dele com o DJI GO e com o Drone Deploy, caso ele seja compatível é possível você programá-lo para realizar voos autônomos.

      Forte abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *