Entenda o Fluxo de Trabalho no Agisoft Metashape

Tempo de leitura: 4 minutos

A ferramenta Fluxo de Trabalho no Agisoft Metashape (barra de ferramentas) reúne todas as etapas de um processamento até a geração do mosaico de ortofotos, ou se preferir, ortomosaico.

É comum recebermos em nossos canais de comunicação várias dúvidas referentes ao processo de geração das bases cartográficas utilizando o Metashape.

Entre elas as principais são em relação às etapas a serem executadas e quanto elas são importantes para a qualidade final dos produtos, tanto dos aspectos visuais quanto posicionais.

Nessa matéria irei citá-las em ordem de execução e explicar o que cada uma realiza durante o processamento.

Entenda

O Agisoft Metashape tem como característica proporcionar a comodidade na hora da execução do processamento a fim de facilitar a vida do usuário do começo ao fim.

Como exemplo podemos citar a ferramenta “Fluxo de Trabalho” na barra de ferramentas onde é reunida todas as etapas de um processamento até a geração do mosaico de ortofotos, ou se preferir, ortomosaico.

Figura 1: Localização da ferramenta fluxo de trabalho

Após ter carregado as imagens coletadas pelo sensor embarcado no drone podemos executar a primeira etapa, o alinhamento das imagens.

1º Etapa – Alinhar fotos

Essa é a primeira etapa que devemos executar na aba fluxo de trabalho, onde é realizado o processo de Fototriangulação, técnica fotogramétrica que determina as coordenadas do terreno em relação a um referencial de terreno.

O resultado final é a geração da nuvem de “tie points” ou pontos fotogramétricos, no qual sua função é materializar o sistema de coordenadas do terreno.

É produto básico para geração da nuvem de pontos densificadas modelos 3D, ponto ligação entre as ortofotos no processo de mosaicagem e geração do mosaico de ortofotos.

Nessa etapa também são inseridos os pontos de apoio coletados em campo utilizados para melhorar a precisão posicional da nuvem de pontos.

Figura 2: Nuvem de pontos fotogramétricos com pontos de apoio

2º Etapa – Construir nuvem densificada

A principal função dessa etapa é densificar a nuvem de pontos gerada no processo anterior. Basicamente, o software irá aumentar a quantidade de pontos na nuvem de pontos diminuindo os espaços vazios para representar melhor a área mapeada.

Este produto é usado para gerar o MDS e o MDT.

Figura 3: Nuvem de pontos fotogramétricos
Figura 4: Nuvem de pontos densificada

3º Etapa- Construir Modelo

Com a nuvem de pontos densificada é possível gerar superfícies tridimensionais no software ou se preferir modelos 3D.

Esse produto é muito interessante pois é possível representar de forma fiel o terreno mapeado tridimensionalmente. Nessa etapa é possível representar o MDS e após uma filtragem da nuvem de pontos o MDT.

Figura 5: Representação Tridimensional do Modelo Digital de Superfície (MDS)
Figura 6: Representação Tridimensional do Modelo Digital de Terreno (MDT)

4º Etapa – Construir textura

O objetivo dessa etapa é somente aplicar uma textura no modelo tridimensional para melhorar o aspecto visual do modelo.

Figura 7: Representação Tridimensional do Modelo Digital de Superfície texturizado

5º Etapa – Construção da DEM

Na construção do Modelo Digital de Elevação (DEM) os produtos gerados são uma representação 2D em formato raster (imagem) do MDS e MDT.

Figura 8: Representação do Modelo Digital de Superfície (MDS)
Figura 9: Representação do Modelo Digital de Terreno (MDT)

Com o MDT gerado é possível gerar as curvas de nível.

Figura 10: Representação do Modelo Digital de Terreno com curvas de nível

6º Etapa – Geração do mosaico de ortofotos

Para gerar o mosaico de ortofotos inicialmente será realizado o processo de ortorretificação das imagens, onde as feições das imagens são projetadas ortogonalmente com escala constante, não apresentando os deslocamentos devidos ao relevo e à inclinação da câmera.

Com as imagens devidamente corrigidas o software realiza a mosaicagem das ortofotos e cria um único produto.

Figura 11: Mosaico de ortofotos

Se quiser saber com detalhes como são realizados todas as etapas de um processamento fotogramétrico e a geração dos produtos ilustrados na matéria, não perca tempo e faça o nosso curso de Processamento de Imagens.

Nele você aprenderá a fazer a preparação dos dados, processamentos, mensurações, exportações dos produtos, controle de qualidade e muito mais!

Para se inscrever é só clicar na imagem a seguir. Venha para o time Droneng!

Autor: Maurício Campiteli

8 Comentários


  1. Primeiramente, parabéns pelo post. Ótimo conteúdo, direto ao ponto.

    Estou com um problema onde algumas fotos não se alinham, geralmente fotos que estão na borda, causando uma falha na geração do ortomosaico. Isso é normal? Tem como corrigir?

    Obrigado

    Responder

    1. Olá João,

      Isso é normal, nas bordas há baixa sobreposição de imagens, neste caso falta informação, o recomendado é você sobrevoar uma área maior em relação a sua área de interesse mantendo sua área de interesse no centro do mapeamento.

      Forte abraço!

      Responder

  2. Boa Tarde!

    excelente trabalho, Parabéns…
    Estou com dificuldade no processamento em relação a altitude, já o N e E tudo ok, o que pode está acontecendo com o meu processamento, esta certo…

    Responder

  3. Ola Manoel, tudo bem? preciso de um treinamento ou curso voltado para o uso dos 7 parametros de conversao do sistema de coordenadas utm para local de maneira que eu possa salvar estes parametros e usar em outros voos da mesma area. tem como me apoiar neste assunto?

    Responder

    1. Olá Nortonglay, tudo bem com você?
      Possuímos cursos que abordam todas as etapas do mapeamento aéreo, tanto em ambiente rural quanto em ambiente urbano.
      Infelizmente não abordamos conversões de coordenadas no sistema UTM para coordenadas no sistema local.

      Forte abraço!

      Responder

  4. Estou com problema na etapa de alinhar fotos, metade do voo as fotos não estão sendo alinhada, quando se processa apenas um lado da área foi processada, não é aquele erro comum das bordas.

    Responder

    1. Olá Pablo, tudo bem?

      Quando as fotos não são alinhadas significa que o software não encontrou os pontos homólogos entre as fotografias, porque a região mapeada é muito homogênea.
      Tente fazer voos mais altos.

      Forte abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *