Topografia com drones: principais dúvidas de quem está começando

Tempo de leitura: 9 minutos

Sabemos que muitos de vocês ainda estão começando e precisam tirar suas principais dúvidas sobre este assunto: Topografia com drones.

Por esse motivo, fizemos essa matéria para que vocês tenham um norte e já conheçam um pouco deste mercado que cresce cada vez mais.

Compilamos algumas principais dúvidas deste mercado de topografia com drones e trouxemos aqui para vocês. Acompanhe a seguir:

Quais os tipos de mercado é possível trabalhar com drones?

Com o mercado dos Drones crescendo exponencialmente muitas oportunidades estão surgindo.

Desta forma, muitas pessoas querem entrar no mercado e essa é uma dúvida muito frequente aqui na DronEng.

Existem diversos segmentos dentro do mercado dos drones: mapeamento, filmagem, fotografia, hobby, transporte, entre outros.

A DronEng trabalha com o segmento de prestação de serviços, ou seja, capacita empresas e profissionais que irão executar projetos de mapeamento aéreo com drones.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/qual-e-investimento-inicial-no-mercado-de-mapeamento-aereo-com-drones/

Como utilizar drones em projetos de engenharia? 

As principais aplicações dos drones em projetos de engenharia são:

  1. Mapeamento de áreas a ser construído
  2. Modelos 3D para simulações
  3. Segurança e Seguro
  4. Progresso da obra
  5. Inspeção da obra
  6. Monitoramento dos operários

O mapeamento aéreo com drones permite a geração de diversos produtos que possibilitam a produção de projetos cartográficos. Os principais produtos cartográficos utilizados em projetos de engenharia produzidos através dos dados dos drones são:

  1. Planta de Situação
  2. Carta Planialtimétrica
  3. Ortofotocarta
  4. Carta hipsométrica
  5. Planta Topográfica
  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/cartas-e-plantas-mapeamento-aereo-com-drones/

INVESTIMENTOS

Qual é o drone mais indicado para projetos de mapeamento aéreo com drones?

Da linha DJI Mavic, o mais indicado é a versão Mavic 2 Pro. Da linha DJI Phantom é indicado a partir do modelo Phantom 3 (Standard, Advanced, Professional e 4K), os modelos mais indicados são o Phantom 4 Pro e o Phantom 4 Advanced.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/drones-para-mapeamento-aereo-qual-modelo-comprar/

http://blog.droneng.com.br/linha-phantom-para-mapeamento-aereo/

http://blog.droneng.com.br/mapeamento-aereo-dji-mavic/

Quais os softwares são necessários para processar os dados?

É necessário algum software que faça o processamento das imagens adquiridas com o drone. Os dois softwares de processamento mais conhecidos são o Agisoft Metashape e o Pix4D, entretanto o custo desses softwares é alto.  

Outra alternativa para o processamento dos dados é contratar serviços de processamento online, como os oferecidos pelo DroneDeploy e Mappa. Neste caso as imagens são enviadas para esses sites e são processadas por um certo custo.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/o-que-e-processamento-de-dados-de-drones/

http://blog.droneng.com.br/processamento-de-imagens-de-drones-qual-software-usar/

Qual a configuração mínima de um computador para o processamento das imagens adquiridas através do mapeamento aéreo com drones?

A configuração vai depender bastante da demanda do usuário. O importante é entender qual a necessidade dos processamentos que serão realizados após a aquisição das imagens com drones.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/investimentos-para-comecar-seu-negocio-no-mercado-de-drones/

PERGUNTAS TÉCNICAS 

Quais são os cadastros necessários para realizar a regularização do drone e do piloto?

O drone deve ser homologado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e deve ser criada sua certidão de cadastro no SISANT (Sistema de Aeronaves Não Tripuladas), sistema gerenciado pela ANAC.

Além disso, deve ser feito um registro do piloto na plataforma SARPAS (Sistema de Solicitação de Acesso ao Espaço Aéreo por RPAS), gerenciada pelo DECEA. É por essa plataforma que serão solicitadas as permissões para cada voo.

Por fim, é necessário contratar o seguro obrigatório RETA (Responsabilidade do Explorador e Transportador Aéreo) para o drone, que cobre eventuais danos causados à terceiros.

É necessário pedir autorização para executar um voo?

Sim, é necessário solicitar a permissão para cada voo através da plataforma SARPAS, gerenciada pelo DECEA.

Quais são os principais produtos gerados através do mapeamento aéreo com drones?

Os produtos mais utilizados gerados através do mapeamento aéreo com drone são:

  1. Nuvem de pontos
  2. Modelos Digitais 3D
  3. MDT (Modelo Digital do Terreno)
  4. MDS (Modelo Digital de Superfície)
  5. Curvas de Nível 
  6. Ortomosaico / Ortofotomosaico / Mosaico de Ortofotos
  7. Índices de Vegetação (câmera multiespectral)
  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/o-que-e-sensoriamento-remoto/

Qual a diferença de utilizar um drone de asa fixa para um multirotor?

A diferença entre os tipos de drone pode ser resumida em parâmetros como: tamanho da área de interesse, para áreas maiores é indicado drones de asa fixa por possuírem maior autonomia de voo; características do relevo, é importante avaliar as formas de pouso e decolagem dos drones, as aeronaves de asas fixas dependem de um espaço maior enquanto os multirotores não possuem esse problema por realizarem o pouso e decolagem na vertical; sensores embarcados; qualidade geométrica; e poder de compra.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/multirotor-ou-asa-fixa/

Os voos para mapeamento aéreo com drones são feitos de forma manual?

Os vôos com a finalidade de mapeamento aéreo não são feitos de forma manual. Para isso existem aplicativos que permitem a configuração de parâmetros essenciais que devem ser obedecidos durante o voo, como a sobreposição entre as imagens, altura de voo, entre outros.

Os principais aplicativos que permitem fazer o planejamento do voo automatizado são: DroneDeploy, DJI Ground Station Pro, Skydrones, Precision Flight e Pix4D Capture.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/aplicativos-de-voo-automatizado/

PONTOS DE APOIO

Qual a acurácia e precisão que consigo alcançar para meus produtos utilizando o mapeamento aéreo com drones?

Diferente da topografia convencional que permite alcançar resultados milimétricos, o mapeamento aéreo com drones permite alcançar uma acurácia centimétrica para os produtos gerados, entretanto a riqueza de detalhes e a produtividade são bem maiores. 

Para alcançar a acurácia centimétrica nos projetos utilizando drones é necessário utilizar pontos de apoio nos projetos ou drones com a tecnologia dos métodos PPK ou RTK. 

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/acuracia-e-precisao/

http://blog.droneng.com.br/pontos-de-apoio/

https://cursos.droneng.com.br/curso/workshop-phantom-4-ppk/

Todo projeto precisa de pontos de apoio?

Os pontos de apoio fazem a relação entre o sistema de coordenadas da imagem com o sistema de coordenadas do terreno e são importantes pois levam acurácia posicional para o projeto.

Os projetos que precisam de pontos de apoio são aqueles que necessitam de acurácia posicional e aqueles que serão materializados em campo.

Projetos que possuem a finalidade de medição de área, perímetro ou ângulos não necessitam de pontos de apoio, assim como aqueles com a finalidade de uso informativo.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/pontos-de-apoio/

http://blog.droneng.com.br/distribuicao-dos-pontos-em-campo/

Em projetos que necessitam de pontos de apoio é necessário adquirir um receptor geodésico?

Não, geralmente esses receptores são alugados de empresas específicas para esta finalidade. Outra opção muito comum é terceirizar essa etapa de rastreio dos pontos de apoio para topógrafos, técnicos em agrimensura ou empresas do ramo de topografia.

MAIS PARA FRENTE

Se o seu objetivo for ainda mais além da topografia com drones e envolver aplicações de índices de vegetação, segue os principais questionamentos:

TIPO DE SENSOR (CÂMERA RGB X CÂMERA MULTIESPECTRAL/ CÂMERA MODIFICADA)

Qual a diferença de utilizar uma câmera RGB  e uma câmera multiespectral?

As câmeras convencionais captam as bandas do espectro eletromagnético da parte do visível, ou seja, as bandas do vermelho (Red), verde (Green) e azul (Blue). Por isso são conhecidas como câmeras RGB, já as câmeras multiespectrais captam bandas em espectros diferentes do visível, por exemplo, o infravermelho próximo (NIR). 

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/ndvi-com-drones-saude-da-vegetacao-atraves-de-imagens/

Qual a diferença de uma câmera multiespectral para uma câmera modificada?

As câmeras modificadas são câmeras convencionais RGB, que passam por um processo de modificação por algum técnico que retira a captação da banda azul e substitui pela banda NIR (Infravermelho Próximo). 

Já a câmera multiespectral profissional, possui um obturador independente para cada banda de forma específica. E isso faz com que ela diminua a relação sinal x ruído.

  • Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/ndvi-ou-ndre-saiba-tudo/

Quando utilizar uma câmera multiespectral/modificada?

As câmeras multiespectrais, como o próprio nome já diz, são capazes de captar informação de diferentes partes do espectro eletromagnético, como as bandas do visível, infravermelho entre outras. As aplicações que utilizam as câmeras multiespectrais são aquelas que necessitam analisar o comportamento dos alvos além do que é visível ao olho humano. 

Um exemplo é a aplicação dos Índices de Vegetação, como NDVI e NDRE, com o intuito de analisar a saúde da vegetação. Neste caso é necessário das bandas do infravermelho próximo (NIR) e da banda do Rededge, por isso utiliza-se de câmeras multiespectrais que captam bandas além do visível: vermelho (Red), verde (Green) e azul (Blue).

  •  Saiba mais em:

http://blog.droneng.com.br/imagens-ndvi-para-agricultura/

É possível adaptar o drone para inserir uma câmera multiespectral/modificada?

Sim, entretanto esta modificação é feita após a aquisição do drone com a câmera RGB. Dependendo do modelo do drone e da câmera é possível modificar a própria câmera ou acoplar uma câmera multiespectral no drone.

A DJI não faz essas adaptações, entretanto existem empresas especializadas que realizam a adaptação da câmera ou do drone. As principais câmeras acopladas são: RedEdge (MicaSense), Parrot (Sequoia) e Mapir. 

CURSO TOPOGRAFIA COM DRONES

Para você que está começando nesta área de topografia com drones, existe um dos nossos Cursos Online que foi criado exatamente para quem está nessa fase.

É o curso de Topografia com Drones em Ambiente Rural. 

Ele aborda desde os conceitos teóricos por trás do mapeamento aéreo até o planejamento de voo e processamento dos dados.

Você pode acompanhar mais sobre ele clicando na imagem abaixo. Se quiser já pode aproveitar e fazer sua inscrição, tenho certeza que será muito útil para você.

Vamos juntos! Se junte aos nossos mais de 7.500 alunos pelo Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *